DestaqueItabirito

Na estação chuvosa, 41% da água usada pela Escola Laura Queiroz de Itabirito vem das chuvas

Em tempos de natureza ameaçada, toda pessoa de bom senso, um dia, já deve ter pensado em reaproveitar a água da chuva. Em Itabirito (MG), a professora Flávia Natália Fernandes Alves, da Escola Municipal Laura Queiroz, não só pensou, mas colocou em prática, na instituição de ensino, um projeto que é pioneiro na região e que faz com que a escola economize, em épocas de chuvas, 41% da água que gasta diariamente.

Sistema de reciclagem
No dia 8 de junho, a Coca-Cola chamou parte da imprensa mineira para uma visita à escola itabiritense com o objetivo de conhecer o sistema de reaproveitamento da água da chuva. Foto cedida pelo site Minuto Mais

Não é exagero dizer que o projeto de captação, de até 15 mil litros de água da chuva, funciona na instituição que é a “menina dos olhos” em Itabirito quando o assunto é educação municipal. Crianças de 6 a 10 anos de algumas das famílias mais carentes da cidade estudam no local. Não se trata de uma competição para saber qual equipe educacional é mais competente. A verdade é: alunos com “necessidades exclusivas” merecem tratamento exclusivo. E é isso que se vê na Laura Queiroz.

De acordo com a professora idealizadora do projeto, uma das propostas é trabalhar com alunos conhecimentos que eles poderão levar para suas casas. Ainda segundo Flávia, o intuito é também fazer com que as crianças tenham uma nova percepção ambiental, mais comprometida e cidadã. “Gostaríamos que elas olhassem o ambiente com os olhos da sensibilidade”, disse.

Diretores Coca Cola no Laura Queiroz
O professor universitário Rogério Zola (de terno), uma referência para as faculdades de comunicação de Minas, foi um dos que vistaram a escola em Itabirito a convite da Coca-Cola. Foto: Romeu Arcanjo/Minuto Mais

O que se realiza na Laura Queiroz é uma prova de que é possível sim desenvolver uma consciência ambiental em crianças que têm preocupações aparentemente e visivelmente mais urgentes.

Além do projeto citado, há na escola uma cascata com peixes (desenvolvida com a ajuda do vereador Geraldo Mendanha), galinheiro, horta, árvores centenárias preservadas etc. Isso sem falar que a instituição é vizinha de um santuário ecológico, resquício de Mata Atlântica. Tudo isso se transforma em contexto no dia a dia da educação ambiental desenvolvida pela Laura Queiroz.

Saindo do âmbito do meio ambiente, na escola há também, por exemplo, aulas de música, capoeira, artes marciais com professores que são referência na cidade em suas áreas.

Coca-Cola e Saae

O projeto de captação da água da chuva foi inaugurado no dia 6 de julho deste ano. “A iniciativa só foi possível porque foi abraçado pela Secretaria de Educação da Prefeitura de Itabirito e adotado pela Coca-Cola”, disse a idealizadora do projeto.

A iniciativa de reaproveitamento foi a vencedora na categoria “Meio Ambiente” do edital “Novas Ideias para um Mundo Melhor”, promovido pela Coca-Cola Femsa Brasil no ano passado.

Isso fez que a empresa destinasse R$ 25 mil ao projeto. Já o Saae de Itabirito, autarquia da Prefeitura (bem como outros parceiros) colaborou com algo em torno de R$ 15 mil.

Em nota, a Coca-Cola informou que “a iniciativa para reaproveitamento de água da chuva tem o objetivo de promover a economia da água, incentivar o uso do sistema da captação de água pluvial e estimular sua implementação em toda a comunidade”.

Na escola, o projeto beneficia 260 alunos e 54 funcionários.

“Queremos, com essa iniciativa, nos tornar uma escola sustentável, formando cidadãos que se preocupem e cuidem do planeta”, disse a diretora Fátima Consuleide.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Close

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios