DestaqueItabirito

Itabirito: Secretário Luke é sabatinado na Câmara e vereador Arnaldo faz duras críticas ao “rotativo”

Na segunda-feira (27), durante reunião ordinária da Câmara, o secretário de Segurança e Trânsito da Prefeitura de Itabirito, Carlos Henrique Franca, conhecido como Luke, e o diretor Fernando Borges, da empresa Lapaza Empreendimentos Ltda., que administra os parquímetros de cobrança do estacionamento rotativo na cidade, responderam a perguntas dos vereadores. E quando o assunto foi o “rotativo” na cidade, o vereador Arnaldo (do PMDB) disparou: “do jeito que está, não pode continuar”. Foi dele, um aliado de primeira ordem do prefeito, que vieram as críticas mais severas.

Em entrevista ao Impacto Atual, Arnaldo disse: “Quando a Prefeitura encomendou a pesquisa de campo para solucionar o problema de falta de estacionamento, a pedido da CDL, Itabirito vivia o boom das minerações. A licitação de concessão para a implantação do rotativo foi parar na Justiça e lá ficou por um ano. Finalmente, quando saiu a liminar autorizando o serviço, a realidade de Itabirito era diferente. A crise mudou a expectativa de todos. Hoje ninguém está satisfeito com o rotativo: o povo, a Prefeitura e até a empresa. Todos estão reclamando. O rotativo tem boas intenções, é importante para a cidade, mas como a empresa não tem o retorno que esperava, não consegue fazer investimentos para modernizar as máquinas para que, por exemplo, elas possam emitir tíquetes de comprovação de uso. Outra coisa, por causa do pouco retorno, não é possível contratar mais funcionários. O serviço nas ruas é deficitário pela escassez de mão de obra. A única coisa boa são os poucos empregos gerados pelo rotativo. Não tem ninguém satisfeito com essa história, e não vejo como resolvê-la em curto prazo”, disse o vereador.

Para Arnaldo, “existe um esforço e preocupação do prefeito Alex para prestar um serviço de melhor qualidade, empenho do secretário Luke e até mesmo o reconhecimento por parte da empresa de que o serviço prestado precisa melhorar muito”.

Ao lado do secretário Luke, do alto da mesa diretora da Casa Legislativa, o diretor da Lapaza não descartou a hipótese de a firma desistir de atuar em Itabirito.  “A empresa está diante de um nó. Isso não está de acordo com a nossa filosofia. Melhor não continuar quando o entrave não pode ser resolvido. Se não chegarmos a um entendimento, temos de repensar a concessão”, disse Fernando.

Segundo o secretário Luke, que assumiu a secretaria há dois meses, a intenção do rotativo era disponibilizar 700 vagas no primeiro momento e, depois, criar mais 300. Contudo, nem sequer a primeira meta foi alcançada. Hoje são 483 vagas de rotativo em Itabirito. “Isso tem gerado um percalço na Prefeitura”, admitiu Luke.

O vereador Ricardo Oliveira (PSB), autor do requerimento que solicitou a presença do secretário na Câmara, fez vários questionamentos, entre eles: “quanto arrecada o rotativo em Itabirito e qual é o destino do recurso?”.

O secretário respondeu: “De 1/1 a 26/11 deste ano, foram R$ 45.366,86 para os cofres públicos municipais que correspondem a 15% daquilo que foi arrecadado no rotativo”.

O vereador Ricardo também perguntou a respeito da perspectiva de aumento das vagas para motocicletas. “Como motociclista, também sinto falta delas. A partir de janeiro, vamos começar esse trabalho”, afirmou o secretário.

Guarda Civil Municipal

GMs ouvem a fala do secretário. Foto: Impacto Atual

Diante os olhos atentos de vários guardas civis municipais, o secretário defendeu veementemente a GM itabiritense. Respondendo ao vereador Renê Butekus (PSDB), Luke disse que os equipamentos da guarda não estão sucateados. Anunciou as aquisições para a GM que se deram na segunda administração de Alex Salvador (PSD), como coletes balísticos, armas de choque e spray de pimenta. Confirmou que uma viatura zero quilômetro está sendo equipada para servir à corporação, e que o veículo estará nas ruas nos próximos dias. “Para o ano que vem, estão previstos pelo menos mais quatro viaturas novas”, garantiu o secretário.

Sobre os possíveis abusos da GM durante as notificações por infrações de trânsito, Luke disse: “Temos de procurar sempre melhorar os serviços da guarda, mas a atuação dela é exemplar. Muitas vezes, pelas redes sociais, a população cai matando na guarda de forma totalmente equivocada”.

Todavia, com relação à abordagem por parte da GM aos cidadãos, o secretário afirmou que teve haver um aprimoramento. “Mas eu não aguento o que os guardas têm de aguentar. A guarda em Itabirito é super capacitada, foram seis treinamentos  feitos somente de outubro para cá. E os guardas daqui vão dar cursos para os GMs de Rio Acima. Estamos nos tornando referência em MG”, garantiu o secretário.

De acordo com Luke, não existe “indústria da multa” em Itabirito. “Em outubro, foram aplicadas 325 em um universo de 30.000 carros. Isso é muito?”, questionou.

O secretário contou que entrou em uma discussão no Facebook, depois de explicada a situação, de pedir desculpas e até mesmo depois de saber que a multa não havia sido feita, e um internauta continuou a denegrir a imagem da GM. “Se não quer entender, não adianta explicar”, concluiu o secretário.

Ironizando, o secretário disse que o motorista nunca comete infrações de trânsito. “Quem é multado faz um estardalhaço. Isso é ruim para cidade. A GM está aí para que lei seja cumprida”, garantiu.

Sobre campanhas difamatórias em Itabirito contra a GM, o secretário afirmou que a Justiça está sendo acionada. “Ninguém tem o direito de difamar o trabalho sério da guarda”, comentou Luke.

Outros vereadores

O vereador Max Fortes (PSB) disse que se a GM abraçar funções que antes eram exclusiva da Polícia Militar pode ser perigoso. O secretário respondeu que “esse é um caminho sem volta”.

O Dr. Edson (PRB) perguntou se há perspectiva de mais GMs na cidade. O secretário respondeu que sim. “Nunca vamos diminuir ou estabilizar”, disse Luke.

Rocha do PT afirmou que a GM já esteve mais presente nas escolas. “Nas portas, controlando o trânsito e fazendo importantes campanhas educativas dentro das instituições de ensino”, comentou o edil.

Luke concordou com o vereador do PT, e respondeu que o trabalho nas instituições de ensino é de “extrema importância”.

O vereador Geraldo Mendanha (PSD) externou a sua preocupação com a chamada zona rural de Itabirito. Disse que muitas vezes o cidadão é lesado pelo bandido e nem sequer faz ocorrência porque acha que não verá resultado.

Sobre o trânsito, o edil do PSD parafraseando um guarda municipal de Itabirito disse: “sabe quem multa as pessoas? Somos nós mesmos, os cidadãos de Itabirito”, revelando que a GM somente faz com que a lei seja cumprida.

                   

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Close

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios