DestaqueItabirito

Itabirito: assassino de Nicolas, Lucas Romão é condenado a 12 anos de prisão por homicídio

ITABIRITO (MG) – Na segunda-feira (2), Lucas Romão da Silva (20) foi condenado pela Justiça a 12 anos de prisão em regime fechado. Ele é o assassino confesso de Nicolas da Silva Almeida que, quando foi morto, tinha 22 anos.

O crime aconteceu em 14 de fevereiro deste ano no bairro Vila Gonçalo por volta do meio-dia.

Segundo o site Minuto Mais, na época, a vítima estava no passeio da rua nas proximidades da casa onde morava, no alto do bairro Vila Gonçalo, quando chegou o assassino (que mora no Saudade) e disparou vários tiros contra ela.

Ainda de acordo com o site, quatro balas acertaram Nicolas. Contudo, no julgamento, se falava em cinco. O jovem alvejado não resistiu aos ferimentos e morreu.

Depois dos disparos, Lucas fugiu para uma mata nas proximidades do Alto do Cristo. A Polícia Militar ficou das 13h às 19h em meio ao matagal com dois cães farejadores tentando encontrar o assassino, mas não obteve êxito.

Contudo, às 10h do dia 15, a PM recebeu a informação de que Lucas teria saído da mata e ido para a casa de um parente.

A polícia localizou o parente: um tio que mora no bairro Novo Itabirito. Lucas, então, foi preso. O acusado tentou se desfazer da arma que cometeu o crime, mas a polícia conseguiu localizá-la. Lucas foi detido em flagrante e confessou o assassinato.

Em depoimento, o assassino teria dito: “se eu não matasse o Nícolas, eu é que morreria”.

Vingança

O motivo do crime seria uma vingança. Dias antes do assassinato, eles se envolveram em uma briga na qual Nícolas feriu Lucas com uma faca.

Ao se defender perante o Tribunal do Júri, Lucas afirmou que o motivo do assassinato teria sido um desentendimento específico entre Nicolas e uma terceira pessoa, no qual Lucas interveio. Em meio a esta briga, Lucas foi ferido por Nicolas, e levou 12 pontos em uma das mãos.

Já a acusação acredita o motivo de tanta violência tenha sido “briga por ponto de droga”. Lucas queria tomar o ponto de Nicolas, que vendia substâncias ilícitas para sustentar o vicio.

Segundo as investigações do Ministério Público, Lucas premeditou a morte de Nicolas quando adquiriu uma arma três semanas antes do homicídio. Também por isso, o assassino foi condenado por homicídio qualificado. Segundo Lucas, ele estava sendo ameaçado pela vítima.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Close

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios