Foi surpresa para muitas pessoas a informação de que o prédio que abriga o Instituto de Ciências Humanas e Sociais – ICHS da Universidade Federal de Ouro Preto – UFOP, Campus Mariana, pertence à Arquidiocese de Mariana. O ICHS surgiu da incorporação à UFOP em 1979 da Faculdade de Filosofia de Mariana (FAFIM), da Universidade Católica de Minas Gerais. O fato veio à tona após uma tentativa frustrada de expropriação do imóvel por parte da UFOP em desfavor da Arquidiocese, que motivou uma ação judicial julgada favoravelmente à arquidiocese em todas as instâncias. A atitude da UFOP é, por si só, um desrespeito à propriedade privada.

Hegemonicamente dominado por comunistas e marxistas, o ICHS abrigou em 2013 o CDC – Centro de Difusão do Comunismo, curso de extensão do Instituto de Ciências Sociais Aplicadas (ICSA) (saiba mais) que, segundo o próprio instituto, seu propósito era lutar por uma sociedade para além do capital. Suas ações se dividiam entre dois projetos: Liga dos Comunistas – Núcleo de Estudos Marxistas e Equipe Rosa Luxemburgo, com ações de extensão articuladas para estudar, debater e realizar a crítica à ordem do capital, eufemismo para defesa ferrenha e difusão do comunismo. Até mesmo a ideologia juche, da Coreia do Norte, estava na pauta de estudos deste curso de extensão.

Mas que mal há nisso? Você pode estar perguntando. Explico: O fato da Arquidiocese de Mariana ceder um imóvel para o ICHS nos dias de hoje seria, em tese, a mesma coisa de você emprestar uma casa para abrigar um grupo de pessoas que acredita e trabalha para que você e sua família sejam varridos da face da terra. Sem exagero.

Não é nenhuma novidade que as ideologias de cunho marxista defendam abertamente que melhor seria se não existissem o catolicismo, o cristianismo de uma forma geral ou qualquer outra religião. Para os revolucionários, religião só serve se ela puder ser usada em favor da “causa”.

Todo católico deveria saber que já em 1949, o Santo Ofício proibiu os fiéis de favorecerem, votarem ou se filiarem em partidos comunistas e suas variações; e de ler, publicar ou escrever qualquer material que defendesse o comunismo e suas vertentes. Estas orientações fazem parte da Doutrina Social da Igreja. Contrariar estas determinações resultam em excomunhão automática. A verdadeira Igreja Católica nunca se deixou enganar pelas trapaças do socialismo e do comunismo. Um sem número de encíclicas denunciaram, desde o início, a farsa de Marx e Hegel.

A reação do regime comunista às posições do Vaticano ficou clara após as revelações de Ion Mihai Pacepa, ex-general da polícia secreta da Romênia e ex-espião da União Soviética, que informou e comprovou que a KGB conseguiu uma incrível infiltração dentro da Igreja Católica por meio de espiões treinados (saiba mais), imbuídos em ocupar todos os espaços possíveis, com objetivo de destruir a igreja de dentro para fora. Uma vez enraizados na cúria, eles poderiam fazer o que bem entendessem.

Mas o que isso tem a ver com o ICHS e a Arquidiocese de Mariana? Pois bem, Nikita Khrushchev queria ser reconhecido na história como o líder soviético que exportou o comunismo à América Central e à América do Sul. Neste contexto, ele estudou e compreendeu as características do povo latino-americano e, percebendo a religiosidade desta população, desenvolveu planos para usar tal particularidade como vetor para introduzir e consolidar o regime comunista na região. O resultado deste movimento ficou conhecido como Teologia da Libertação, que posteriormente foi aplicado em nível mundial pela KGB.

O nascimento da Teologia da Libertação (TL) em 1960 foi a tentativa de um grande e secreto “Programa de desinformação” (Party-State Dezinformatsiya Program), aprovado por Aleksandr Shelepin, presidente da KGB, e pelo membro do Politburo, Aleksey Kirichenko, que organizou as políticas internacionais do Partido Comunista.

Resumindo: Como parte da estratégia soviética, após quase 20 anos da instituição do movimento no Brasil, os expoentes da TL participaram da fundação do Partido dos Trabalhadores (PT), clone do Partido Trabalhador da Romênia Comunista com o objetivo claro de chegada ao poder. Para o Professor Olavo de Carvalho, “O PT sempre foi a encarnação viva de um catolicismo de fancaria, concebido para ludibriar os fiéis e induzi-los a trabalhar pelo avanço do comunismo”.

O Professor Olavo de Carvalho observou que próprio Lula, algum tempo atrás, reconheceu que devia sua carreira política ao eleitorado católico, que aqueles bispos e a mídia cúmplice haviam logrado enganar cinicamente, encobrindo o programa comunista e abortista do PT com a imagem beatificada e perfumada de “Lulinha Paz e Amor”.

O fim da farsa, embora tardio e parcial, serviu para desmascarar a autoridade religiosa postiça de tantos sacerdotes e prelados que só entraram na carreira eclesiástica para aí realizar o programa estratégico de Antônio Gramsci: esvaziar a Igreja de todo o seu conteúdo espiritual e usá-la como dócil instrumento da política comunista. A Teologia da Libertação é o braço mais ativo desse programa e, como ninguém ignora, o catolicismo de Lula — e do PT em geral — é o da Teologia da Libertação. Não o de Nosso Senhor Jesus Cristo.

O ex-presidente Lula já confirmou em diversas oportunidades que sem o apoio de parte da Igreja Católica, o projeto de poder do PT jamais obteria sucesso. Em carta enviada em abril de 2010 a Dom Geraldo Lyrio, então presidente da CNBB, Lula agradece o apoio da “Igreja Católica” ao longo do seu mandato como presidente. Leia a carta na integra.

Informação importante para todos, principalmente para quem abriu o link da carta do Lula ao Dom Geraldo é a seguinte: “A CNBB fala em nome da Igreja e posa, ante os fiéis, como expressão suma da autoridade eclesiástica, mas não é sequer uma entidade da Igreja, é uma simples sociedade civil sem lugar nem função na hierarquia católica. Os bispos, individualmente, têm autoridade para falar em nome da Igreja. A CNBB, não”. Prof. Felipe Aquino.

No caso do ICHS em Mariana, o simples fato do abrigo do CDC já seria motivo mais do que suficiente para a Arquidiocese de Mariana tomar providências, considerando a iminente contradição com a Doutrina Social da Igreja, mas como a própria nota oficial diz, “A bem da verdade, em nenhum momento a Arquidiocese de Mariana exigiu da UFOP a desocupação dos prédios”.

Agora você deve estar entendendo o motivo pelo qual muitos clérigos da Igreja Católica, com raras e honrosas exceções, quase nunca se posicionam contra a agenda socialista em assuntos como: aborto, casamento homossexual, ideologia de gênero ou efetivamente o marxismo. Tal omissão está deixando vulneráveis, principalmente as crianças filhas de famílias católicas, que contam com a palavra do sacerdote como fonte de informação e orientação. Faço aqui uma justa distinção ao Pe. Miguel Ângelo Fiorillo, da Paróquia da Boa Viagem em Itabirito/MG, que deu uma verdadeira aula no final da celebração do Sacramento da Crisma (2017), explicando o marxismo cultural para os fiéis presentes ao poliesportivo da Carioca em Itabirito, que estava completamente lotado. Parabéns ao Pe. Miguel!

Evangélicos: as denominações evangélicas sérias fazem um excelente trabalho de orientação aos fiéis em relação aos perigos e ameaças à família, à ética e a moral cristã que são apresentadas para a sociedade por meio da grande mídia, por programas de governo – tal como a Base Nacional Comum Curricular, que irá obrigar os professores a ensinarem ideologia de gênero para seus filhos, etc.

Se você é cristão de qualquer denominação e está envolvido de algum modo com causas marxistas, recomendo que repense esta atitude. Não convém a um cristão apoiar ideologias anti-vida e anti-liberdade. Deus nos deu o livre arbítrio, mas “Importa obedecer antes a Deus do que aos homens” Atos 5, 29.

Aos católicos, recomendo uma atenção especial à doutrina, pois muitos comunistas de batina podem estar arrastando você para longe de Deus. Procure conhecer de perto o Catecismo da Igreja Católica e acompanhar especialistas como o Prof. Felipe Aquino ou clérigos como o Pe. Paulo Ricardo, Pe. José Augusto, Pe. Roger Luiz e Dom Henrique Soares da Costa. Isto pode ser feito via internet.

Procure o conhecimento e a verdade, pois só assim poderá fazer a escolha certa entre salvar a sua alma ou seguir orientações marxistas que por ventura partam de dentro da própria igreja.

Que a paz esteja com você!

Comentários do Facebook